janeiro 12, 2014

O Açúcar Candy da Kopenhagen e o Rock Candy de hoje no youtube

English here.
Este colar de açúcar feito pela Greetje Van Helmond é igual
a bala de Açúcar Candy que era vendido pela Kopenhagen.

Todo domingo à tarde,  quando eu era criança, meus pais iam visitar uma tia da minha mãe. Nós atravessávamos a cidade, literalmente para chegar onde ela morava. Ao contrário do que se podia imaginar, eu e minha irmã mais nova nunca reclamávamos. A gente adorava! Porque sabíamos que a viagem tinha uma parada num ponto estratégico para nós, uma loja no bairro da Savassi. Eu não me lembro de uma viagem sequer sem a parada na bombonière mais chique da nossa infância.


A marca Kopenhagen nasceu quando um casal veio da Letônia para o Brasil fugindo da Primeira Guerra Mundial. Anna e David faziam balas em casa para vender nas ruas de São Paulo. Deixaram de lado os sonhos de serem, ele médico e ela pianista para fazerem balas de marzipans e doce de leite. As vendas cresciam rápido e no ano de 1930 eles abriram a primeira loja no centro da cidade.

Em 1990 já haviam algumas lojas Kopenhagen em Belo Horizonte. A delicadeza das caixas em formato de coração com grandes laços de fita vermelha enchiam os olhos de todos. O aroma loja misturava chocolate europeu com amêndoas e os biscoitos de leite em formatos apropriados da estação eram a alegria de qualquer criança. Conosco não era diferente. Na parada era obrigatório comprar um presente para a tia, uma caixa de garrafinhas de licor ou rum para meus pais e balas para nós, as crianças.

Produtos fashion na década de 1980 na Kopenhagen.

Nossa preferida era a chamada Açúcar Candy, que traduziamos como bala de açúcar. Transparentes, elas pareciam pedaços de pedra, mas com um leve sabor açucarado. Levavam horas para derreter na boca e pensando melhor agora, isso devia ser uma grande vantagem para meus pais. O fato é que as pedras sempre me intrigavam. Como será que eles fazem para ficar tão parecida com pedaços de pedra? Cada uma no seu tamanho, mas todas com formato e cor de cristais de quartzo?

Tempos depois, voltei em uma das lojas da marca para procurar o tal Açúcar Candy, mas não tive sucesso. As vendedoras olharam para mim e disseram "esse produto nunca existiu". Ingênua arrogância de quem havia feito um treinamento superficial em vendas. Por anos, essas vendedoras me fizeram esquecer da bala com cara de cristal.

Alguns anos mais, na escala de um voo internacional qualquer encontrei as tais pedras de açúcar. Na loja de balas a vendiam com o nome de Rock Candy. Tinha outras cores e sabores, mas era a própria bala da minha infância. Hoje em dia, a Rock Candy voltou a ser vendidae, todo mundo sabe fazer e alguns até ensinam no youtube. Qualquer dia desses eu vou tentar fazer, afinal, não tem glúten, não tem milho, não tem...



--
Isabela: designer, especialista em tecidos automotivos, estudou psicologia clínica, trabalha inclusive com análise de tendências de design e comportamento humano. Está morando fora do país, por isso gosta de compartilhar as coisas interessantes que encontra pelo caminho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leave your comments here.