junho 14, 2019

E-mail

Por Elisabeth Santos
 


Depois da carta escrita em papel com caneta esferográfica, posta no correio com selo... chegou a vez do email, que é uma carta eletrônica. Escreve-se num teclado de computador, e por lá mesmo, via internet vai a carta para a pessoa a quem se destina. Envelopes escritos à mão, ou à máquina de escrever, com destinatário e remetente foram passados para trás por essa nova forma de correspondência. A resposta ao que você escreveu no email poderá chegar em instantes, não em dias e mais dias. São muitas suas vantagens oferecidas através de teclas: lista de nomes e endereços; destaque para o assunto contido no texto; rascunho; arquivo morto; lixeira; segurança; calendário; filtragem; arquivos; sinalizador; impressão; um ou mais destinatários; resposta, etc.

Ao se desenhar um envelope daqueles que seguem através da empresa de correio, usa-se muito mais o verso do que a frente dele, que geralmente é onde se fecha o conteúdo ali introduzido. O resultado disso: de vez em quando aparece uma carta com destinatário escrito no lugar do remetente; remetente identificado na face do envelope. Se passar pelo olhar atento do “postalista” seguirá corretamente. Se passar só pela máquina franqueadora... retornará ao remetente!

E o email foi evoluindo, aceitando muitos tipos de anexo, prestando ótimos serviços.

Passado para tras em quilômetros pela mensagem via telefone celular à mão e ouvido do interessado, chegou-se aos “phones” que tem o sistema Wi-Fi e recebem denominação segundo o gosto do fabricante.

E assim prosseguem todos, cada qual eleito pela preferência do usuário, ou do proprietário, inclusive aquele que acompanha tendências, e aguarda a próxima novidade.

 A Empresa de Correios não acabou. Diversificou! A Internet acessada por computador doméstico, ou não, transbordou de redes sociais possibilitando ao mundo inteiro “se encontrar” conectando; outras inovações conseguidas pelos acertos tecnológicos avançaram em comunicação.

O email, permanecendo na preferência de empresas e pessoas que trabalham à frente de um computador com acesso à internet, continua atualíssimo!




 Clique aqui e role o cursor para ler outros Contos da Beth.

--

Elisabeth Carvalho Santos desde alfabetizada lê tudo que aparece à sua volta. Depois de aposentada professora (não de Português) resolveu escrever. Os assuntos brotam de suas observações, das conversas com amigos que são temperadqs com pitadas de imaginação e bom humor. Costuma afirmar que "escrever é um trabalho prazeroso e/ou um lazer trabalhoso que todo alfabetizado deveria experimentar algum dia".

junho 07, 2019

Trapalhadas

Por Elisabeth Santos

Ficar confuso diante de uma situação nova é comum: pela esquerda ou pela direita; subo ou desço; vai-se de acordo com o mapa da internet ou pelas pequenas placas indicativas; pergunta-se aos transeuntes que rumo seguir, ou não? O endereço é novo, não consta no GPS. Assim vão prosseguindo desnorteadas as pessoas corajosas e munidas de paciência.     

Depois de tanta dúvida, e vai e vem, chega-se ao local do importante compromisso. Ainda bem que prevendo quaisquer outros motivos de atraso chega-se com antecedência. No momento de apresentar documentos pessoais, o primeiro acerto! Em seguida, vem a conferência de outros papéis importantes requisitados, e ninguém acha. A sacola com tudo o mais não está com o grupo. Deve estar no carro, que ficou no estacionamento. Na dúvida, ninguém foi conferir, pois a porta custa a abrir no estacionamento diminuto. Tudo mais ou menos resolvido, porque na entrega do resultado o que ficou faltando será apresentado.

Hora do retorno e o primeiro a entrar no veículo enxerga a sacola artesanal de cor preta, esquecida no tapete preto do carro. Vai pegando e voltando correndo antes que o expediente da firma se esgote, a entrada se feche, e tudo fique a ser resolvido na próxima viagem.

É nesse momento que o diálogo acrescido da boa vontade dos envolvidos faz o embaraço parecer uma anedota. O procedimento burocrático teve de ser repetido em outro formulário. Ainda bem que foi só isto.

Chegando ao outro local de resolver assuntos da mesma magnitude, o recepcionista solicita dados como endereço, número de celular etc. a quem chega. Este diz que falou recentemente com uma moça ao telefone, e ela já deve ter deixado tudo no computador.

Mas não, ali é só o recepcionista de nome Darcy que sempre foi confundido com alguém do sexo feminino e nem se importa mais. Gosta de atender bem, cobre de gentilezas os clientes, conversa, deixa todos à vontade como se estivessem em suas próprias casas.

E todos os formulários foram preenchidos!



Elisabeth Carvalho Santos desde alfabetizada lê tudo que aparece à sua volta. Depois de aposentada professora (não de Português) resolveu escrever. Colabora com o jornalzinho da família, participa de concurso cultural e coleciona seus textos para publicar oportunamente. Os assuntos brotam de suas observações, das conversas com amigos e são temperados com pitadas de imaginação e bom humor. Costuma afirmar que "escrever é um trabalho prazeroso e/ou um lazer trabalhoso que todo alfabetizado deveria experimentar algum dia".



junho 05, 2019

10 important, but often ignored facts about Brazil


  1. Brazil has the 2nd largest number of airports in the world (4093).
  2. Brazil is still the country with the largest number of Catholics in the world.
  3. Brazil is the 2nd country with the highest plastic surgery rate.
  4. More than 1,000 languages were spoken in Brazil before the discovery. Today, only 180 still survive and only 11 are spoken by more than 5,000 people.
  5. Brazil imported 4.8 million slaves from Africa, almost half of all slaves throughout the Americas.
  6. Brazil has the fastest growing fleet of helicopters in the world. Sao Paulo boasts the world’s largest private helicopter fleet with more than 400 helicopters making 1,500 take-offs and landings a day.
  7. There was no bloodshed during the Proclamation of the Republic, on 15 November 1889.
  8. The Brazilian flag flown in the Square of the Three Powers in Brasilia is the largest flag flown in the world.
  9. The oldest tree in Brazil is a jequitibá-rosa with 3020 years that is in Vassununga State Park in Santa Rita do Passa Quatro - SP.
  10. And… We speak Portuguese, from Brazil which is not the same as the one spoken in Portugal; not Spanish; not Brazilian.



maio 31, 2019

Curitiba

Por Elisabeth Santos

A capital de temperaturas mais baixas! A cidade mais organizada e limpa! Paraíso dos turistas o ano inteiro! Atrações diversificadas! População simpática e acolhedora!

São tantas coisas boas que ouvimos de quem vem de Curitiba... dá vontade de ir lá conferir.

Você poderá ir de avião, se estiver bem distante da capital do estado do Paraná, mas existem bons serviços de ônibus, para quem preferir ir curtindo a paisagem sem pegar no volante.

Há excursões de excelente qualidade através de agências de turismo.  Escolha uma que você já tenha uma referência, de parente ou amigo, para conhecer Curitiba sem preocupar-se com detalhes do planejamento, podendo ter uma ideia geral de tudo que é oferecido ao visitante. Foi o que fiz.

Os hotéis estão prontos para atender hóspedes dos mais exigentes, pois seus funcionários são qualificados para priorizar o “bem servir”. Mesmo em excursão, em época de temporada ou feriado emendado com fim de semana, com a reserva feita você poderá constatar o ótimo nível de serviço oferecido pela rede hoteleira local. O número de funcionários cresce na mesma proporção.

E ainda, nós excursionistas, pudemos ficar bem no centro antigo de Curitiba, onde acontecia uma feira de artesanato bem interessante.

Visitas ao Jardim Botânico, Ópera de Arame, Parque Tanguá e Unilivre estão entre as imperdíveis. Tudo muito diferente e lindo.

O Museu Oscar Niemeyer, popularmente chamado Museu do Olho, é um local completo para se passar um dia com a família, pois tem espaço adequado a atividades livres, além das programadas pela administração. A agenda é rica nas modalidades: show, apresentações, festivais e oficinas. Aí não basta estar na cidade por um dia. Como a entrada aos idosos, assim como aos muito jovens é ofertada... Voltei lá!

Para os que vieram de um café colonial servido no hotel da excursão, uma chegadinha à lanchonete do MON é suficiente para aproveitar o passeio sem precisar sair dali.   

Em matéria de cultura artística esse museu está entre os maiores e mais completos do mundo: a obra arquitetônica de Niemeyer chama a atenção pela novidade de um túnel branquíssimo que conduz à subida ao salão de exposições itinerantes, e vista paisagística urbana inigualável.

Logo no primeiro piso ficam as maquetes das principais obras do nosso ilustre arquiteto que projetou pelo mundo afora. Fez do nosso país o primeiro da América Latina a ser reconhecido também por essa atividade de engenharia arquitetônica em concreto armado.

Além disso, espaços do MON exibem mais de quatro mil obras de arte assinadas por nomes nacionais e internacionais, e continuam investindo no crescimento constante do acervo!

Quando chegou o dia da despedida, ainda queríamos fazer uma viagenzinha de trem até Morretes, mas deixamos para a próxima.

_ Até mais ver Paraná!


Elisabeth Carvalho Santos desde alfabetizada lê tudo que aparece à sua volta. Depois de aposentada professora (não de Português) resolveu escrever. Colabora com o jornalzinho da família, participa de concurso cultural e coleciona seus textos para publicar oportunamente. Os assuntos brotam de suas observações, das conversas com amigos e são temperados com pitadas de imaginação e bom humor. Costuma afirmar que "escrever é um trabalho prazeroso e/ou um lazer trabalhoso que todo alfabetizado deveria experimentar algum dia".