julho 31, 2015

Marimbondos

Tá vendo essa mancha preta na árvore? São eles, os marimbondos.
Ninguém se aventurou a chegar mais perto para tirar a foto.
E o cactus no primeiro plano? Pitaias cor-de-rosa ou branca.

Dona Ione foi capinar o quintal da Dona Bete e descobriu no tronco da laranjeira da Terra um enxame de marimbondos migrantes. No momento que eles voavam rodeando a árvore ela baixava a cabeça quase a relar no chão, pois é baixinha. 

Prosseguiu o serviço até onde foi possível, e alertou a patroa:

_ São perigosos. Não deixe as crianças virem para cá. Minha avó faleceu depois de ter sido atacada por uns desses, há vinte anos.

A proprietária do terreno não sabia se estava mais assustada, que decepcionada. 

Havia contratado o serviço da melhor capinadeira da região, que tirava o mato com a raiz, para durante as férias seus sobrinhos terem mais espaço, e se divertirem a valer! E agora, com a constatação da chegada dos marimbondos pretos azulados, tinha dois problemas sérios.

O terceiro problema descobriu em seguida:

Nas imediações ninguém queria se arriscar na empreitada: pegar um bambu bem longo, e à noite acender uma tocha na ponta e virar o exterminador no escuro.

Parecia que a lei ali era: cada qual que trate de eliminar seus próprios marimbondos, embora Dona Bete insistisse não serem seus aqueles bichos atemorizadores.

Então ela foi deixando os dias passarem, observando da varanda, com binóculo, se iam embora, e... Nada. Certa manhã percebeu uma parede cinzenta se erguendo em volta da mancha negra do tronco da laranjeira da Terra. Os danados tinham gostado do lugar resolvendo ali se estabelecerem.

Se assim é que assim seja resolveu Dona Bete “A Marimbondeira”.

Deixou-os em paz, e em paz ficou.

Outras fotos da morada dos marimbondos no quintal da Beth.

...
Com a chegada de visitas importantes na casa, Beth optou pela seguinte estratégia "iliminamarimbondu". Duas latas com um pingo de gasolina em cada. À noite colocou-as próximas à árvore "atacada" e acendeu as "bombas". Como eles estavam protegendo a casa, no momento do ESTOURO os bichos voaram em outra direção. Daí o mais corajoso da casa foi com um bambu que tinha uma tocha na extremidade e queimou os resíduos da CAIXA DE MARIMBONDOS!

Até o presente momento sumiram todos.
...
Novela encerrada.

Estratégia "iliminamarimbondu".



--
Elisabeth Carvalho Santos desde alfabetizada lê tudo que aparece à sua volta. Depois de aposentada professora (não de Português) resolveu escrever. Colabora com o jornalzinho da família, participa de concurso cultural e coleciona seus textos para publicar oportunamente. Os assuntos brotam de suas observações, das conversas com amigos e são temperados com pitadas de imaginação e bom humor. Costuma afirmar que "escrever é um trabalho prazeroso e/ou um lazer trabalhoso que todo alfabetizado deveria experimentar algum dia".

julho 29, 2015

Quer saber como funciona o marketing americano básico?

Cupom de desconto e cartão fidelidade. Leia mais sobre cupons aqui.

Aprendendo sobre marketing e fidelização de clientes nos Estados Unidos, cada dia um pouquinho.

Fomos no pet shop comprar a comida do gatinho fofinho que coabita a nossa morada. Ofereceram um cartão fidelidade ia nos proporcionar 20% de desconto imediato, acumular pontos, receber eventuais descontos e avisos de promoções (1). Aceitamos e fizemos um rápido cadastro na loja, quer dizer, falamos número de telefone para a pessoa no caixa (2). Na mesma hora recebemos esse pedacinho de plástico com o nome da loja e um código de barras para pendurar no chaveiro (à direita na foto, Petco) (3)Depois de uns dias, uma semana para ser exata, chegou em casa um cartão promocional no valor de 4 dólares para comprar mais comida para o fofinho (4).

Esse é o fofinho. Visite minha fanpage.

Vamos aos detalhes do assunto:

1. Esse cartão possibilita à loja rastrear as compras que fiz para saber por exemplo qual é o meu padrão de consumo. Esse é o motivo de muitos americanos não fazerem cartões de fidelidade, não querem ter a privacidade invadida. Mas vou te dizer que dá para fazer o mesmo pelo número do cartão que você usou.

2. Em casa você preenche o restante das informações pelo site, se quiser. Ou continua usando somente o telefone. Se esquecer de levar o cartão na próxima compra, você pode falar seu número telefone que funciona igual. 

3. Esse cartão é pequeno e você vai encontrar pessoas econômicas, mas principalmente desencanadas carregando uma penca deles no chaveiro. Gente que prefere economizar já que as lojas e o governo monitoram as informações que querem, quando querem não perguntando se você concorda ou não. Aqui e no Brasil, tudo igual!

4. Eles verificaram pela minha nota fiscal a marca do produto que levei para casa e mandaram a promoção da mesma marca. O pacote custou 15 dólares (sem impostos), mas agora posso comprar outro por 11, descontão!


Quer conhecer outras tradições dos Estados Unidos? Veja aqui.

As grandes economias mundias, números que fazem pensar.

julho 27, 2015

Na sua cidade tem feirinha?

Imagem: Angelo Rodrigues. Desenho feito na feira em torno da Praça Serzedelo Correia, Copacabana, Rio de Janeiro.
Marcador fino e aquarela em moleskine aquarelável (9X14,5 cm).

No último post falamos sobre a famosa feira de Scarborough na Inglaterra da Idade Média que inspirou a cantiga Scarborough fair, gravada por vários artistas contemporâneos, e as feiras de hoje, você conhece? Costuma ir?

Na Barra, em Ouro Preto – MG todo domingo é domingo-feira, dia de feira...
Lá podemos conferir muita coisa boa: frutas, legumes, verduras e mudas de flores e ervas (chás e temperos), tudo fresquinho e basicamente orgânico.  Além disso, tem os doces caseiros do distrito de São Bartolomeu que são patrimônio imaterial, biscoitinhos, café da roça moído na hora e  peças de tricô!





Mudas de salsinha, cebolinha, alecrim, orégano, tomilho e manjericão.

Peças em tricô e bonequinhas de pano.

Para o Senhor Raimundo que trabalha na feira há 30 anos com o irmão e sócio Senhor Osvaldino é muito bom saber que através de seus produtos orgânicos estão fazendo bem para o cliente. Suas mercadorias são fresquinhas e saborosas.

Osvaldino e Raimundo, irmãos e sócios.

Além das vantagens de estar consumindo produtos fresquinhos, saudáveis e saborosos, quando optamos por comprar nas feirinhas acabamos economizando e ajudando a economia local.

E você, já fez a feira da semana?



Outros posts da Amanda você vê aqui.


--
Amanda é estudante de Filosofia e mora em Ouro Preto – MG. Lança no mundo um olhar contemplativo e é por isso que pode trocar informações e curiosidades sobre tudo o que gosta e experimenta: ideias, arte, saúde, ética, estética, e o principal: pessoas, além de lugares e natureza.

julho 24, 2015

É rocambolesco... O jeito de cada um fazer seu rocambole.

Gostosuras que só a Beth sabe fazer.

A massa é de pão de ló, que antigamente desafiava a paciência de qualquer um que se habilitasse a mestre cuca. Agora já não é mais. É fácil, fácil, e sempre saboroso, pois cada qual vai rechear seu rocambole a seu gosto. E os recheios são comprados prontos, podendo ainda ser enriquecidos com frutas, castanhas trituradas, cremes e coberturas.

Dona Joana faz cada rocambole...

Não dá receita, mas convida quem quiser aprender a vir até sua casa e vê-la fazendo. Um aprendiz por vez.

É que as perguntas dos curiosos são muitas, e a Joana acha que não vai dar conta do recado ou da demonstração.

Ela separa os três ingredientes nas medidas e quantidades da receita aprendida com a sogra, e vai em frente, forrando com papel manteiga a assadeira onde vai deitar a massa.

 – Não vai fermento? Não. _ não vai leite? Não. _ não vai manteiga? Não.

_ É pão de ló, colega! Mas se quiser garantir o ponto de massa leve, fofa e flexível suficiente para a enrolação, use farinha de trigo com fermento - responde a mestre cuca.

O pão de ló fica uns vinte minutos no forno, e quando assado é virado rapidamente sobre pano de prato úmido e polvilhado de açúcar. Retira-se o papel. Espalha-se o recheio, e vai-se enrolando o enrolado segurando o pano e não o pão de ló, que fica apertado naquela situação de grudar uma parte na outra, sem quebrar.

_ E se quebrar Dona Joana?

_Não se preocupe. Remende com um pouquinho de recheio ou esconda com a cobertura que irá sobre ele depois de frio.

E olha que Dona Joana nunca quebrou nenhum. Só trincou algum, mas o pessoal comeu e gostou do mesmo jeito.

É que apreciadores de rocambole não se incomodam com o rocambolismo correto, mas com o prazer em degustar a iguaria. Seja doce ou salgada.



--
Elisabeth Carvalho Santos desde alfabetizada lê tudo que aparece à sua volta. Depois de aposentada professora (não de Português) resolveu escrever. Colabora com o jornalzinho da família, participa de concurso cultural e coleciona seus textos para publicar oportunamente. Os assuntos brotam de suas observações, das conversas com amigos e são temperados com pitadas de imaginação e bom humor. Costuma afirmar que "escrever é um trabalho prazeroso e/ou um lazer trabalhoso que todo alfabetizado deveria experimentar algum dia".

julho 22, 2015

Bastille Days in the Southern US, a celebration.

Happy Bastille Days

Greenville is a unique Southern city with a great variety of cultures. The French culture is part of it, and this weekend we celebrate the Bastille Days in the city with many events.

Besides the 100 Fahrenheit temperature that only who lives in the South knows it, my pics from everything that I saw was the lady selling lavender products as the small plant for you to grow at home. 

Types of lavender that you can grow in the South.
A few healing effects of lavender are:

1. Polyphenols in lavender reduces poor digestion caused by bad bacteria.

2. It also lowers your blood pressure, making you relax easily.

3. Use a few dried flowers at night to help with insomnia.

4. It's used as anti-inflammatory for mosquitoes bites reducing itching, swelling, and redness. 

5. Antiseptic properties for minor burns.

6.  Lavender oil helps with flakes!

7. Switch your smelly car for a Lavender vehicle.

8. Need more? Make luxurious floral arrangements.

Lavender for cooking is different from the ornamental one. 

Click on the pic to enlarge The Lavender Growers Association Guide.


A perennial herb used for scents and much more!

Visit their website to know more about this aromatic herb.
Lavender soap and sachets I loved it.

Visit their Facebook page here.
Other interesting pics from the last day of Bastille Festival you see below.

The Poodle Parade

One winner from the Parade is this white woofer.

A magician making all kids laugh.

The famous Southern lemonade, and this unique chair.

Kids waiting for the Dance Festival.

Let's Dance
Let us know you experience on the Bastille Festival this week.


More posts for you here.

I don't always get a disease, but when I do it's something with a weird name.

julho 20, 2015

Você está indo à feira de Scarborough?

“Are you going to Scarborough fair”…

(imagem: divulgação da internet)

Todos já ouviram alguma versão dessa música tradicional inglesa de origem medieval que tem estilo de cantiga e faz alusão a uma famosa e movimentada feira daquela época. Sabe-se que a feira de Scarborough era um dos pontos comerciais mais badalados da Inglaterra na Idade Média.


Canção simples, que costuma ser dividida em duas vozes, uma masculina e uma feminina, também tem uma interpretação romântica, onde o homem se declara para seu flerte dizendo a partir dos nomes das ervas - respectivamente – salsa, salvia e alecrim que quer que a moça seja a mãe de seus filhos; que é fiel e para que ela pense nele.

Interessante é notar o caráter atemporal de uma canção. Como pode uma composição de autoria desconhecida e tão antiga sobreviver por tanto tempo? Gravada por inúmeros cantores ela encanta e traz um sentimento de complacência a todos que ouvem.

Aqui você confere uma versão da música gravada pela dupla Simon e Garfunkel:


Versão do grupo das artistas irlandesas Celtic Woman:


Versão da cantora inglesa Sarah Brightman:


Versão do grupo holandês de música folk Omnia:




Outros posts da Amanda você vê aqui.


--
Amanda é estudante de Filosofia e mora em Ouro Preto – MG. Lança no mundo um olhar contemplativo e é por isso que pode trocar informações e curiosidades sobre tudo o que gosta e experimenta: ideias, arte, saúde, ética, estética, e o principal: pessoas, além de lugares e natureza.

julho 17, 2015

Motivos para fazer regime

Café da manhã francês na Califórnia, delícia.
Beth avisa que as 3 bolotas são de iogurte, não sorvete como pensaram alguns.

Existem vários motivos para as restrições alimentares. Emagrecer é só uma delas.

Há pessoas que tem indisposição estomacal e evitam certos alimentos. Outras pessoas sentem dor de cabeça fazendo determinadas refeições, ou tem sono fora de hora. Por fim, dependendo do alimento e da sensibilidade individual, o que vem para o bem poderá momentaneamente atrapalhar o dia. Nada que um bom chá, ou até mesmo um chazinho possa resolver.

Com as muitas informações divulgadas atualmente através da TV fica difícil encontrar alguém que não eliminou de vez um bom prato do seu habitual cardápio.

Dona Florinda, dona de casa zelosa pelo bem estar da sua família, há muito deixou de comprar no açougue o fígado para fazer sua receita preferida: patê para fatiar e comer com pão, por ter lido que nas vísceras dos animais existe mais chance de se desenvolverem micro organismos. Igualmente seu marido deixou de beber o café com leite por ter escutado ser essa uma mistura quase fatal; e os filhos do casal tiveram de aceitar com cara boa que ninguém mais naquela casa haveria de ingerir “ovo frito com gema mole”, pois traria doença. Por essas e outras, mudaram-se hábitos alimentares. 

O vovô e a vovó comiam empadão só de recheio. Isso mesmo! A cozinheira fazia uma panelinha só do recheio para evitar as gorduras trans da massa.

Mas... como sempre existe um “mas” a guerra dos produtores e/ou industrializadores alimentícios foi atrás da divulgação de tantas pesquisas que o público alvo (nós outros!) ficou sem saída. Muitos começaram a sofrer de falta dessa ou daquela vitamina, de algum sal mineral, iodo e etc. tendo que complementar com cápsulas dos tais elementos.

Dona Florinda, que não era muito chegada a invencionices e adaptações alimentares, resolveu voltar a fazer suas práticas receitas apreciadas por todos e a pregar: _ Moderação é a base da boa alimentação!



--
Elisabeth Carvalho Santos desde alfabetizada lê tudo que aparece à sua volta. Depois de aposentada professora (não de Português) resolveu escrever. Colabora com o jornalzinho da família, participa de concurso cultural e coleciona seus textos para publicar oportunamente. Os assuntos brotam de suas observações, das conversas com amigos e são temperados com pitadas de imaginação e bom humor. Costuma afirmar que "escrever é um trabalho prazeroso e/ou um lazer trabalhoso que todo alfabetizado deveria experimentar algum dia".

julho 16, 2015

I don't always get a disease, but when I do it's something with a weird name.


That's right, I don't always get a disease, but when I do I get those creepy ones. Adhesive Capsulitis, also known as frozen shoulder.

It's very common for various autoimmune diseases. In those cases the recovery rate is high and fast. Different than Diabetes when the recovery is slow, very slow. Well, these are 5 tips the orthopedic doctor gave me. He also promised that next visit his 10 minutes explanatory video will be on YouTube.

1. Activity

Do it! Even if is sore. Use the arm for mid and high level activities.

2. Physical Therapy

It helps! If after all it's sore, you can use ice at home, 18 minutes, or until you feel it numb.

3. Home Exercises

Don't forget your home work. If it's sore... ice again.

4. Cortisone Injections

They work better on males. He doesn't know why they can't do the same for females.

5. Medication

NSAIDs are good for a week, or max 10 days, but only if it's helping.

This video explains what is going on behind the skin. I'll show the therapist next time, and ask for an opinion on this neck/shoulder issue.

julho 14, 2015

As grandes economias mundias, números que fazem pensar.

Esse post é mais um para a série "não vamos perder o senso de realidade".

Até 2014 o Brasil era a sétima economia mundial, sendo que deve ser ultrapassado pela Índia agora em 2015. Você já pensou no significado desses números?

As grandes economias mundiais. CNN

O mundo tem ao todo 196 países e, dependendo do ano que você considerar, serão 188 ou 189 que tem menos dinheiro que o país do futebol, das favelas e do carnaval.

Desde 2006 o Brasil está entre os 10 países com maior PIB (Produto Interno Bruto) do mundo. E daí? E daí "quí" com esse dinheiro todo nós ainda não fomos capazes de resolver a falta de água no sertão, a violência e nem o analfabetismo, só para citar alguns clássicos.

É mais dinheiro que toda a África consegue fazer e ainda sobraria um bom dinheiro sustentar mais alguns outros tantos países.


Estados Unidos

Primeira economia mundial

Renda per capita - 12 no ranking mundial


Brasil 

Sétima economia mundial

Renda per capita - 64 no ranking mundial


China

Segunda economia mundial

Renda per capita - 84 no ranking mundial



Então eu pergunto se não seria esse um país de primeiro com pessoas de terceiro mundo?

--

Outros posts para você.

Sem perder a noção da realidade.

Assim funciona a democracia social nas escolas.


julho 12, 2015

Existe gato que não dá alergia, hipoalergênico?

Foi com essa pergunta que comecei a busca por um bichinho de estimação que não causasse ainda mais alergias nos moradores da casa. Qual foi a minha surpresa quando vi que SIM existe algumas raças que dão menos alergias. Então seriam aquelas sem pelo? Pode ser, mas não necessariamente. Ufa! 

Sphynx Adulto


Primeiro vamos ao que entendi da alergia aos gatos. Um dos tipos não é alergia ao pelo per se, mas sim a uma bactéria que está presente na saliva da maioria dos felinos. Quando o bichinho se lambe... e gato se lambe muito ele passa a bactéria para o pelo. Quem tem bicho de estimação sabe como esses pelos se espalham pelos cantos mais inesperados da casa. Então você pode ter alergia aos pelos espalhados pela casa ou à bactéria que passa para os pelos do bichano.

No caso dessa raça que eu encontrei, eles tem pelo de comprimento médio a longo, mas não tem a bactéria na saliva. Muito bom, uma coisa a menos não é mesmo? A tal bactéria não sobrevive na saliva desses animais e eu fiquei tão feliz que me contentei com o primeiro site que falou sobre isso sem ao menos ir atrás da veracidade científica da história. Então os feios que me desculpem, mas nada de ter um bicho pelado como o da foto acima. Ao contrário, os siberianos são lindos e antes que você pergunte, sim, eles são originários da Sibéria, uma província ao norte da Rússia.

Gato siberiano que é considerado um gato gigante no Brasil.

Foi assim que começou a caçada por criadores que vendessem essa raça nas redondezas da Carolina do Sul. Não foi fácil, mas o site da Associação de Criadores de Raça dos Estados Unidos (TICA) ajudou muito.  Foi por lá que num dia de verão chuvoso eu encontrei essa belezura com olhos cor de mel no facebook da Siberian Cartier.

Bebê mackerel siberiano com 2 meses. Quer notícias atualizadas do gatucho da foto? Clica aqui ó!

Essas são algumas características da raça:

1. Sociável e brincalhão - SIM, adora ficar perto das pessoas e brincar de caçar ratinhos.

2. Cor - varia muito, eles podem ser inteiros brancos, pretos, acinzentados, amarelados, mackerel (listrados como da foto acima), mackerel tabby (mesclados), com as pontas das patas e do rabo de outra cor, etc.

3. Vivem de 15 a 20 anos dependendo dos cuidados e alimentação.

4. Olhos bem arredondados.

5. Tem boa energia, principalmente para pular.

6. Pelagem de tamanho médio a longo, são 3 camadas para aguentar o inverno rigoroso da Rússia. Trocam de pelo conforme a mudança de estação.

7. Pesam de 4 a 6 kg, mas podem chegar a 9 kg.

Uma boa notícia sobre tudo isso é que realmente não tivemos nem um espirro em casa por causa dele. Esse filme foi feito na primeira noite que Zion dormiu na casa nova. Outras peculiaridades da raça eu vou postar aqui no blog, no Facebook do fofutcho ou no canal do YouTube.



Outros posts que você vai gostar.


--
ATENÇÃO
Todo o material escrito na seção ALERGIA tem somente a intenção de informar com referências. Você não deve de jeito algum deixar de conversar e comunicar seu médico sobre suas decisões de trocar ou parar de tomar qualquer remédio, suplemento ou começar a fazer qualquer tratamento diferente do que foi passado por ele. Por favor, use o bom senso, faça sua própria pesquisa. Consulte seus especialistas quando resolver fazer alguma substituição que afete sua vida.

julho 10, 2015

Cemitério

Mais um lindo quadro da Beth.

O local que também é sabido como “Nossa última morada na Terra” tem suas peculiaridades...

Por exemplo:

Crianças não vão lá costumeiramente. Assim sendo muitas tem na ideia o Cemitério das histórias em quadrinhos. Um local onde circulam esqueletos, zumbis e assombrações que “vivem” de assustar os outros e dar gargalhadas.

Adolescentes vão tão pouco a um cemitério que chegam a imaginar túmulos como residências dos que se foram desta vida.

Para os adultos o “Campo Santo” é lugar de silêncio, oração, paz, e sobretudorespeito.

Para os bem velhinhos mesmo, o cemitério pode representar tudo isso, mas sem deixar de ser o espaço onde brevemente estarão. Ao mesmo tempo, que tem consciência disso, ainda é muito difícil conversar sobre o assunto com os familiares ao seu redor. Então...

A anciã centenária pede à sua cuidadora que lhe traga o baú de lembranças queridas. Tira dele um relógio de pulso, umas fitas acetinadas, uma fotografia encapada de plástico transparente... Neste momento (que será eternizado) chega uma visita para ela. Depois dos cumprimentos, a velhinha explica o que estava fazendo:

_ Que bom que você chegou querida! Poderá dar-me uma sugestão. Pensei mandar este relógio aqui para uma revisão, polimento e troca de correia. 

Gostaria que ficasse de lembrança para minha bisneta. Tudo bem?

_ Ótimo! Acho mesmo muito legal! Aninha poderá até usá-lo em alguma ocasião especial se gostar da moda Retrô.

Então a bisa recolocou o relógio em seu estojo original, e apresentou à amiga a foto de família.

_Este retrato quero mandar emoldurar para ficar no corredor da entrada desta casa. Quero que meus descendentes tenham oportunidade de ver e pensar sobre nossa família. Viemos do nada, fomos criados na honradez, união, estudo e trabalho... Você acha que estou certa?

_ Claro! Muito boa ideia!

_Já estas fitas aqui. Pedirei à minha cuidadora que as lave e passe para irem comigo na urna mortuária.

_ E que fitas são essas, amiga?

_ Do tempo que eu participava de Congregações na igreja. Eram identificações dos grupos a que eu pertencia: “Dama de Caridade”; “Filha de Maria” e a de “Irmãzinha do Bom Jesus”. Quero partir levando a certeza de ter seguido o caminho traçado para mim por meu Deus. Concorda?

_ Sim! Você vai ficar mais bonita!

E o chá foi servido, e as duas amigas continuaram ali a conversar, comendo uns sequilhos de coco.

...............................................................................................................................

Passado algum tempo, num dia dos Finados, Dona Auxiliadora arruma uma sacola para sair. A jovem ao seu lado, vendo-a atarefada indaga aonde é que ela vai.

_ Vou levar flores ao túmulo de sua bisavó. Hoje é dia dos mortos e vão muitas pessoas ao cemitério.

_ Eu quero ir com você! Quero ver minha bisavó também. Você destampa o túmulo para arrumá-lo, retirar a poeira, colocar as flores nas jarras?

_ Não é bem assim. Não vemos nunca mais as pessoas que lá foram enterradas. As flores enfeitam, faço uma oração pelas almas dos que se partiram deste mundo, e só trago de lá a saudade que ficou...

_ Ah... Entendi!





--
Elisabeth Carvalho Santos desde alfabetizada lê tudo que aparece à sua volta. Depois de aposentada professora (não de Português) resolveu escrever. Colabora com o jornalzinho da família, participa de concurso cultural e coleciona seus textos para publicar oportunamente. Os assuntos brotam de suas observações, das conversas com amigos e são temperados com pitadas de imaginação e bom humor. Costuma afirmar que "escrever é um trabalho prazeroso e/ou um lazer trabalhoso que todo alfabetizado deveria experimentar algum dia".