maio 27, 2016

Descontraindo

Por Elisabeth Santos

Macarron X Macarrão

Disseram-me que o parisiense reconhece turista de longe.

Tive certeza que reconhece o latino americano, e o brasileiro facilmente, quando por lá estive. Nem tentarei explicar, pois não se trata do sotaque puramente, já que eu estava quieta no trem. Ao meu lado uma senhora, com vestido estampado, cabelão solto ao vento. Ali sempre havia artistas cantando, tocando algum instrumento musical, fazendo alguma apresentação artística. Dessa vez era uma mulher, e cantava “Besame Mucho”. Ia muito bem, e de vez em quando, voltava o olhar para nós, a quem “passaria o chapéu” brevemente. Anunciada a próxima parada, antes de descer, a passageira ao meu lado colocou uma moeda na mão da cantora. E aí a artista, que havia cantado em espanhol, começou em português do Brasil, com sotaque francês... “Sábado na balada... A galera começou a dançar, e passou a menina mais linda tomei coragem e comecei a falar... ai se eu te peeegoooo.”

Todos me olhavam, ou era só impressão?

Descontraí ao lembrar que parisiense não reconhece meu idioma. Escolhi a moeda de dois euros para agradecer a homenagem antes de descer na minha estação.

« _ Ô revuá a tut le mond! »

.......................................................................................................................

Eu tive alguns receios ao visitar Paris:

_ Será que lá teria um café gostoso? E tinha!

_ Haveria um supermercado próximo de onde me hospedaria? E havia mais de um.

_ Algum colega pediria que eu ensinasse a fazer feijoada, ou a sambar?

Felizmente nada disso aconteceu.

Perguntaram-me sim, se eu gostava de macarrons. Respondi afirmativamente. E serviram-me umas bolachas redondas, coloridas e cobertas por um açúcar bem refinado. Eu queria comer algum alimento de sal antes do doce e pensei que ali o costume era a ordem inversa.

Depois dessa trapalhada fui descobrir que teria de pedir espaguete, ou massa, porque macarrom lá, não é o nosso macarrão. 

Da mesma forma, pedir peixe é querer peixe inteiro. Se você desejar uma porção individual, há de especificar: para “pedaço de carne” use “tranche”; se for pizza, é “part”; querendo queijo use “morceau” e assim por diante.

Uma vez aprendido, aprendido está. Não se erra mais.

Afinal haja espaço para “baguete”, cordeiro, queijo e torta inteiros para uma pessoa só!

.......................................................................................................................

Viajar é preciso, estar atento é imprescindível!




--
Elisabeth Carvalho Santos desde alfabetizada lê tudo que aparece à sua volta. Depois de aposentada professora (não de Português) resolveu escrever. Colabora com o jornalzinho da família, participa de concurso cultural e coleciona seus textos para publicar oportunamente. Os assuntos brotam de suas observações, das conversas com amigos e são temperados com pitadas de imaginação e bom humor. Costuma afirmar que "escrever é um trabalho prazeroso e/ou um lazer trabalhoso que todo alfabetizado deveria experimentar algum dia".

maio 25, 2016

Rodas-gigante nos Estados Unidos

Roda-gigante em Myrtle Beach, Carolina do Sul.

Toda cidade de praia nos Estados Unidos tem uma roda gigante perto do pier. Pequena, média ou grande, no verão elas são uma atração que eu recomendo.

E se não quiser perder nem um minuto de sol esturricando nas areias branquinhas da praia, aproveite aquele dia nublado ou um fim de tarde qualquer para pegar uma carona no clássico brinquedo de girar.

No caso da viagem à Myrtle Beach, fizemos exatamente isso. Localizada no norte da Carolina do Sul, a cidade é do tipo turística comercial. Então aproveitamos um fim de tarde nublado antes do jantar, quando já estávamos bem satisfeitos com os dias de areia e sol para dar uma voltinha na Skywheel.

Skywheel em Myrtle Beach, SC.

Essa roda-gigante é hoje a quinta maior dos Estados Unidos, mas quando foi inaugurada, em 2011, era a segunda maior do país. Com 64,6 metros de altura, perdia somente para a de Dallas no Texas. Em 2012 foi premiada como a melhor paisagem para se ver na Carolina do Sul.

O pier do centro da cidade visto da roda gigante.
A vista da cidade.
Reflexo da roda no prédio da vizinhança.
O outro lado da praia do centro.

Agora vamos contar um pouco de história.

A primeira roda-gigante do país foi contruída pelo engenheiro George Ferris para a Feira do Mundo em 1893. Depois de aparecer em público em Chicago, em 1904 funcionou por dois anos e foi demolida.

The Ferris Wheel, mais de 80 metros.

Atualmente, a cidade de Las Vegas tem a maior roda-gigante do mundo com mais de 167 metros de altura. São 28 cabines fechadas onde confortavelmente se sentam os passageiros para uma volta completa de 30 minutos.

Em 2017 está planejada a abertura daquela que será a roda-gigante mais gigante do país hahaha. Em Nova Iorque, com 192 metros de altura, vai ter vista de toda a ilha de Manhattan, a High Line e cidades vizinhas como New Jersey. Uma volta completa vai levar 38 minutos para os 1400 passageiros que estiverem à bordo. 

E você, já passeou em alguma roda gigante americana? Conte para nós, nos comentários.



A primavera no sul dos Estados Unidos



5 coisas que parei de fazer quando me mudei do Brasil




maio 20, 2016

Fête des Mères avec trois recette ou receitas deliciosas em francês

Por Elisabeth Santos


Minha habilidade culinária resume-se a três receitas: rocambole doce; pão de queijo; torta de abobrinha.

Agora vamos em francês no nível debutante.

--

Ma habilite cuilinaire em trois recette: paupiette du sucré; pain du fromage; tarte de courgette.


Roly-Poly

Ainsi je fait mon Mini-gâteaux. Une recette du pão-de-ló rôti em forme de gâteau taille 30 cm x 40 cm. Compote du doce de leite (cousin du lait condensé) pour remplir. Une serviette humide avec peu eau.

Ingrèdients

7 oeufs

2 tasse du sucre

2 tasse du farine (du froment)

1 cuillerée du levure chimiste

Manière de faire

Battre les blancs d'œuf avec le sucre jusqu'à obtenir une consistance solide. Ajouter les jaunes doucement. Ajouter la farine, mélangez doucement. Si s'estomper ajouter le levure doucement.

Verser le masse en forme de gâteau avec couvert du papier impermeáble.

Cuire au four à 180° centígrados pour 25-30 minutes.

Rotisseriê rôti, tourner sur le serviette humide et de sucré.

L'enrouler chaud avec une serviette humide avec peu eau..

Remplir de doce de leite, chantilly, de chocolat ou de crème.

Mange froid.

--


Pain du fromage

Ingrèdients

4 tasses du farine de manioc

1 tasse du lait

1 tasse du huile

1 tasse du fromage râpé

4 o 5 oeufs

sel 

Manière de faire

Rhume le “polvilho de mandioca”, fécules de manioc. Echauder avec huile melanger au lait. Aprés du froid , bruser les oeufs sur ette masse. Misture avec les “mains”. Ajouter le fromage, le sel a gôute. Constater si la masse necessaire si faire “amollir” pour mais 1 uf. Le point idéal est di “pingar” portions avec assistance des 2 cuillieurs. 

Em plateau ne pas enduire (è taler; e tendre).

Metier en rôtie 200° pour 30 minutes ou mais.

Mangeur chaud.

--


Tarte de courgette

Ingrèdients

2 courgettes vertes

1 oeuf

2 colleurs du huile

um petit coulleur du levure chimiste

1 cuiller (soupe) de farine

tempere qui tu aimèè

fromage râpé


Manière de faire

Rallè les courgettes. Mélanger le uf, avec la farine, uille et levure. Mistouirer a les courgettes. Tempérer. Verser la masse enrefratarié enduiréé. Aspersion il fromagio râpé et metier o rôti. 

Bon apetit!



--
Elisabeth Carvalho Santos desde alfabetizada lê tudo que aparece à sua volta. Depois de aposentada professora (não de Português) resolveu escrever. Colabora com o jornalzinho da família, participa de concurso cultural e coleciona seus textos para publicar oportunamente. Os assuntos brotam de suas observações, das conversas com amigos e são temperados com pitadas de imaginação e bom humor. Costuma afirmar que "escrever é um trabalho prazeroso e/ou um lazer trabalhoso que todo alfabetizado deveria experimentar algum dia".

maio 18, 2016

30 dias na dieta AIP, Protocolo Autoimune



Alguns brasileiros devem conhecer a dieta Paleo, chamada também de paleolítica, mas poucos falam sobre o Protocolo Autoimune Paleo. Então vamos lá, essa é uma dieta que ajuda a curar o sistema imunológico e a restaurar a mucosa intestinal. Aplicável a qualquer doença inflamatória, ela tem melhorado a vida de muitas pessoas mundo à fora.

Essa dieta (AIP) reduz a inflamação nos intestinos. Ao contrário de muitas dietas, geralmente incompletas, nem sempre removem os gatilhos nem acalmam a inflamação geral do corpo. Mesmo que uma doença autoimune não possa ser curada, sabe-se que elas podem entrar em remissão, ou seja, suspensão dos sintomas.

Você vai encontrar essa interpretação e muitas outras por aí, mas também a tratam como uma mudança de estilo de vida ao invés de falarem em dieta. Isso porque é mesmo uma nova vida para quem pretende reverter um tanto do sofrimento envolvido nessas doenças cura nem muita explicação decente. 

Nos próximos dias vou postar algumas fotos de refeições para empolgar outras pessoas e a mim mesma! 
Começando pelo básico da dieta Paleo, os alimentos proibidos são:

- Glúten (trigo, cevada, centeio, aveia tem outro tipo de proteína, mas é muito contaminada)
- Grãos e similares (chia, linhaça)
- Legumes (feijões)
- Laticínios (leite)
- Açúcar
- Álcool
- Café
- Chocolate

Alguns motivos para eliminar esse pessoal aí de cima. Glúten é inflamatório para os intestinos e deve ser removido da dieta de qualquer pessoa que sofra de doença autoimune. Grãos e legumes contêm ácido fítico ou fitato e lecitinas, também inflamatórias. Álcool, café, chocolate e açúcar são retirados porque são super inflamatórios e não trazem nenhum nutriente que compense a ingestão neste momento.

Evite nightshades, as tais plantas que crescem à noite porque elas podem ser a causa da sua inflamação, dor nas juntas, irritação na pele e desconforto intestinal.

- Batata branca
- Pimentas e pimentões
- Cebola
- Tomate
- Berinjela

Elimine as comidas prontas, congeladas, todas!

Elimine os ovos porque as enzimas presentes no ovo, principalmente na clara, conseguem passar pela barreira intestinal entrando na corrente sanguínea para estimular reações e ataques do sistema imunológico.

Elimine sementes, nozes e castanhas porque contêm lecitinas e fitatos. Além disso, elas causam sensibilidade em pessoas com doenças autoimunes, pois contêm grandes quantidades de ômega 6 que também é inflamatório.

Coma frutas com moderação. Uma ou duas porções por dia é o ideal para manter os níveis de açúcar equilibrados. A frutose, mesmo a das frutas, em excesso também pode irritar o intestino. Se for o caso, coma somente com as frutas com baixa glicemia.

Evite aditivos como goma guar e carragenos porque eles não têm nutrientes e também irritam o intestino.

Se puder, evite remédios anti-inflamatórios, mas tenha cuidado ao fazê-lo. Sabemos que muitas doenças autoimunes requerem o uso contínuo de remédios do tipo não esteroidais para a dor crônica, então não faça nada sem consultar seu médico.

Os óleos derivados de grãos e legumes também estão proibidos. Óleo de canola, de milho, de amendoim e o de girassol não devem ser consumidos.

Nossa, o que sobrou para eu comer? Calma que já vai melhorar, clique na figura para ver um esquemão rápido.


O que comer!

CARNES - todas,  inclusive miúdos. Boi, aves, rã, pato, peixe, etc. Cozido, frito, assado, cru, como preferir.

VAGEM - pode

VEGETAIS - couve de bruxelas, aspargos, repolho, folhas verdes (TODAS), pepino, abobrinhas (TODAS), cenoura, cenoura amarela, batata baroa, batata doce, mandioca, brócolis, couve-flor, beterraba, repolho japonês, rabanete, couve, rúcula, etc.

FRUTAS - 2 ou 3 pedaços por dia é o máximo ideal. Frutas secas com moderação. Coco pode!

GORDURAS - abacate, óleo de abacate, óleo de coco, gordura de porco, azeite de oliva.

FERMENTADOS - kombucha, kimchi, sauerkraut, kefir feito com água e água de coco. Vegetais fermentados também. 

BEBIDAS - água de coco, chá de ervas, bebidas com cafeína devem ser restritas à 1 por dia.

FARINHAS - elimine todas as derivadas de grãos e outros alimentos proibidos. Farinha de mandioca, com moderação, pode! O mesmo para tapioca e afins.

ADOÇANTES - mel, maple (bordo em português?), açúcar de coco com moderação pode. 

ERVAS - menos aquelas derivadas de sementes como as pimentas, as outras podem. Ainda a salsinha, cebolinha, menta, coentro, orégano, gengibre, etc.

Outros alimentos permitidos:

- Bacon sem conservantes, sem açúcares, azeitonas, anchovas, frutos do mar, sardinha e salmão em lata, gengibre, melão macarrão, abóbora espaguete, alho, canela, cogumelos, cúrcuma, tâmaras, açafrão, gelatina (aquela natural sem açúcar sem corantes, o osso de boi ralado), mocotó (aquele natureba, feito de osso), chouriço e vinagre de maçã.

O mínimo de dias indicado para se seguir esta dieta é de 1 a 2 meses, mas algumas pessoas conseguem ficar muito mais tempo. Depois desse período você vai reintroduzindo os alimentos d-e-v-a-g-a-r para ver o que faz mal, o que faz bem e o que não interfere.

Ao identificar os alimentos que te fazem mal você deve retirá-los da vida de uma vez por todas. Então é possível voltar ao normal, ou quase.

Vamos às compras e começar a dieta AIP!

Você já seguiu essa dieta? O que achou? Deixe seu comentário logo abaixo.

"Pro mercado, pro mercado,
pra comprar um bom porquinho,
depois pra casa, pra casa,
como ele é gordinho!"

O que comer numa dieta restrita tipo AIP, Protocolo Autoimune ou Paleo

Fim de ano e desintoxicação, escolha a sua!

maio 16, 2016

Você gosta de trabalhos artesanais?

Tem gente que gosta e vive o artesanato como vimos no último post sobre o Florderico “O que faz parte do seu show?” link aqui.

Em Ouro Preto – MG existem muitas mulheres que vivem o artesanato de forma muito especial, algumas delas fazem parte da ASA – Associação das Senhoras Artesãs, é o caso de Bernadette Ribeiro e Virgínia Deveza que têm seus trabalhos vinculados à Associação e ainda outros de marcas pessoais.


A ASA é uma associação de mulheres artesãs super criativas que se reúnem geralmente uma vez por semana para trabalharem coletivamente. Essas mulheres também viajam e participam de Feiras por todo o país, onde aprendem muito, ensinam e ainda expõem suas produções de arte- feita-a mão.
Virgínia tem sua marca: Anjinho Barroco Artesanato, é apaixonada por bordado desde pequena, não passa um dia sem bordar, depois que descobriu uma fábrica de tecidos com designer próprio em sua cidade natal – Cataguases- MG- se sentiu estimulada em lançar uma linha de bolsinhas que fazem o maior sucesso nas exposições, servem como nécessaire, porta documentos, carteira entre outros, mas, o que chama atenção é a delicadeza de cada detalhe escolhido, cada desenho e contorno de bordado feito com tanto cuidado. Perguntada sobre o diferencial de seu trabalho, Virgínia Deveza responde que sua marca e a da ASA são o acabamento de qualidade.



Bernadette Ribeiro é natural de Pouso Alegre- Sul de Minas, Designer e professora aposentada, mora em Cachoeira do Campo - Distrito de Ouro Preto.  Seus trabalhos são diferenciados e a proposta é inovadora ou “re-novadora”, pois aposta em bijus feitas com materiais reciclados.  Sua marca é “Be & Ju da Terra”, uma alusão com trocadilho às iniciais “B” (de Bernadette) e “J” (de Júlia, sua filha) que vem ainda ser entendido como “beijo da Terra” denotando o cuidado que devemos ter com o nosso Planeta.

Foto: Bernadette Ribeiro Teixeira, designer, expondo com a ASA na Casa dos Contos em Ouro Preto – MG

Bernadette acompanha as exposições da ASA com seus trabalhos, mas não para por aí, pois também participa da Feira de Artes e Artesanatos de Belo Horizonte – MG, também conhecida como Feira Hippie de BH- aos domingos.
Sua maior investida tem sido em colares reciclados, produzidos a partir do reaproveitamento de cápsulas de café expresso. Mas, não deixa suas criações anteriores de lado, essas continuam ganhando olhares admirados. Os colares de podas de arvores são seu registro pessoal no artesanato e seu maior diferencial é trabalhar com reciclagem.

Colares Be & Ju da Terra feitos a partir de reaproveitamento de cápsulas de café expresso.
Colares Be & Ju da Terra feitos com podas de árvores.



Anjinho Barroco Artesanato
Tels:
(31) 9 88886231
(31) 3552 2056

Be&Ju da Terra
Tels:
(31)9 85463846
(31) 3553 1913


Outros posts da Amanda você lê aqui.


--
Amanda estuda Filosofia e mora em Ouro Preto – MG. Lança no mundo um olhar contemplativo e é por isso que gosta trocar informações e curiosidades sobre tudo o que admira e experimenta. Acredita que as perguntas movem o mundo e o conhecimento pode ser um remédio para a alma. Escrever no Caderno de Perguntas é uma forma de passar um pouco da sua bagagem adiante.

maio 13, 2016

A importância da Amizade

Por Elisabeth Santos


Não foi a primeira vez que tentei entabular conversa com uma pessoa próxima, porém de uma nacionalidade e idioma completamente diferentes do meu.

Certa vez, pegando a mesma condução até o aeroporto arrisquei um curto diálogo com a companhia que era uma coreana, colega de serviço de minha amiga.

Coincidentemente, da última vez também foi num aeroporto (Paris), a condução que foi buscar-me tinha a incumbência de também transportar um moço japonês. E ele já aguardava há algumas horas. Assim conheci um de meus colegas do curso de Francês para estrangeiros, a iniciar-se no dia seguinte.

A motorista e eu, brasileiras, conversávamos em Português. Voltando-me para o japonês, falei e gesticulei que estava chegando do Brasil, país amigo do Japão. Como era de se esperar, ele se lembrou de futebol, do Pelé e do Neimar. Rimos quando meu futuro colega, perguntou de Christiano Ronaldo, confundindo com um dos Ronaldos brasileiros.

Correy desceu primeiro em seu novo endereço residencial, não antes de surpreender-me com um presente, lembrança de seu país: Um leque! Quis recusar por achar que ele poderia estar confundindo-me com sua anfitriã. Ele insistiu.

Parecia dizer que trouxe outros souvenires. Agradeci dizendo obrigada, e arigatô.

Na segunda feira cheguei bem cedo à escola, e tomei meu lugar na sala de aula. Em pouco mais de meia hora, sala cheia, entrou Correy, meu amigo japonês. O lugar que sobrava era ao meu lado, e nos reconhecendo... trocamos um sorriso.

A turma surpreendeu-se, e expliquei com o pouco que sabia de Francês:

“_ Laeropórte, laeropórte!”

E parece que todos entenderam.

Dois desconhecidos, que se encontraram na chegada, agora reunidos com outros desconhecidos, com o mesmo objetivo: estudar Francês!

Este único motivo bastou para olharmo-nos com empatia, sentirmo-nos confiantes, num ambiente acolhedor.

Começando a aula éramos nove ilustres desconhecidos de seis países diferentes fazendo suas apresentações em Francês.

Todos ouvindo atentamente, com muita vontade de entender! Para os de idiomas originados do latim, como o Francês, foi mais fácil do que para chinês, japoneses, e a polonesa. Assim mesmo, a professora falando somente francês, direcionando as perguntas sobre naturalidade, trabalho, e motivo que trouxe cada qual àquela escola, conseguiu bons resultados. A maioria ali estava por necessidade profissional, alguns para viajarem pelo mundo, e outros porque mudaram com suas famílias. As idades variavam de vinte e dois a sessenta e seis anos. Só o nível de conhecimento da nova língua é que fazia a homogeneidade: todos iniciantes, que dali saíram um degrau acima. Débutantes, ou seja, de pé!

Admirável a habilidade da equipe de professores, a explicar com gestos, mímica, onomatopeia e desenhos, o significado do que eles próprios falavam; do que era ouvido de cada aluno; do que se pretendia demonstrar; do sentido da palavra escrita.

A parte teórica era nos apresentada, principalmente, através de exercícios escritos a serem concluídos em casa. Enquanto, a conversação, era estimulada através de perguntas sobre: filmes, músicas internacionais, jogos e brincadeiras populares, tudo respondido de uns para outros, promovendo a socialização.

A simulação de uma família conversando com agentes de turismo, na montagem de um roteiro a ser percorrido na França foi muito interessante. Uns turistas querendo viagem focada na gastronomia; outros com interesse em paleontologia; e ainda os que preferiam passeios convencionais; ou no campo, e até em montanhas.

Ainda bem que era fictício!

Não fosse o clima amistoso existente naquela sala de aula, verdadeira Torre de Babel, haveria de sair briga ou confusão. O pessoal estava levando com excessiva seriedade a atividade proposta pelo professor.



--
Elisabeth Carvalho Santos desde alfabetizada lê tudo que aparece à sua volta. Depois de aposentada professora (não de Português) resolveu escrever. Colabora com o jornalzinho da família, participa de concurso cultural e coleciona seus textos para publicar oportunamente. Os assuntos brotam de suas observações, das conversas com amigos e são temperados com pitadas de imaginação e bom humor. Costuma afirmar que "escrever é um trabalho prazeroso e/ou um lazer trabalhoso que todo alfabetizado deveria experimentar algum dia".

maio 11, 2016

Two cities, two Brazilian restaurants one great food!

Tucanos in Greenville at Magnolia Park, and Amor de Brazil in Charlotte at 74 and 51 intersection.

Let's review our findings from last couple weekends.

Two cities - Greenville vs. Charlotte

Two Brazilian restaurants - Tucanos vs. Amor de Brazil

Starting with cities, Charlotte has more things to do, but Greenville is much more charming. You may like to read more about it in here, although Tucanos restaurant isn't at downtown.

Tucanos is roomy, but they are not yet working in a full capacity. Amores is smaller, but has plenty room for you and your friends.

Talking about music, both have a variety of Brazilian music playing, not that I care for the style they choose on these places.

Directly to the subject, both names are very Brazilian. Amor de Brazil means love from Brazil, and Tucanos are those birds with the long colorful beaks.

Both places are steakhouses and they serve grilled meat or, as we say in Brazil, churrasco in a traditional Brazilian way which means those chucky pieces of meat keep passing by each table with a green signal on. You will only understand if you have being to one of those before.

A tucano at Tucanos' façade and the red/green flag for more or less meat.

BTW, both have the very traditional sign you use to "say" either YES, Sir. I want some more! or NO, I'm full as ballons on the Macy's parade.

Both can accommodate gluten free folks, just ask them about the sauces on the meat. They also can accommodate vegetarians, in case you need to follow your family or friends. In this case, I highly recommend you try the grilled pineapple. Yummy

Both have a salad buffet as complimentary to the meat walking around the empty plates.

Both have other Brazilian dishes as white rice and black beans. Tucanos had also some sushi rolls - what? Yes, we have this is Brazil too.

Both have cheese rolls or cheese bread - pão de queijo as we say in Brazil.

Both have the most famous soda you'll find in Brazil, Guaraná Antártica.

Palm hearts at Amor and rare meat at Tucanos.

Both have chicken hearts - sorry Americans, we do eat offal over there. Although in Amor de Brazil we had to ask for it, but they were glad to prepare just for us.

Both have quail eggs on the salad bar - yes, we do eat those too.

I didn't see palm hearts at Tucanos, but maybe I was distracted by the top sirloin - picanha.

Talking about picanha, hubby sad it was softer in Amor de Brazil, but both were great in my opinion. Just in case you wonder, neither place has a big fat cover on the top sirloin as we see in Brazil.

Let's talk more about drinks, Amor only has can juices, but Tucanos has fresh ones. Just like you used to drink in Brazil.

Desserts, Tucanos don't had brigadeiro, but had papaya flan with cassis liquor. Amor had some good sweets as well, although I didn't care for any at that time.

Let's go to numbers, Amor de Brazil cost $35 per person and Tucanos $23. Because Tucanos is near home, it's the winner of the day!

Now it's your time to make your opinion known. Have you being to any Brazilian steakhouse?


More post you may like.