abril 01, 2014

Cozinhando com o sal preto do Havaí.


Depois de árdua procura para decifrar um enigma a respeito do sal do Havaí finalmente encontrei a pérola negra, digo, o sal preto. E algo mais!

Sal preto do Havaí, ou Black Lava Hawaii Salt é um sal grosso de cor preta. No fundo ele é um sal grosso branco não iodado com adição de carvão ativado. Agora vamos por partes, comendo o elefante aos bifes.


Essas são as tradicionais e artesanais piscinas de sal do Hanape, Havaí.

O sal pode vir de várias fontes, uma delas é o mar. Assim temos o sal marinho que naturalmente não contém iodo. O químico foi adicionado anos atrás devido aos problemas de saúde que ocorriam na falta dele. Leia um pouco mais sobre por quê colocam iodo no sal aqui, mais pro final do post.

Então o lava salt recebe uma "demão" de carvão que é feita com de cascas de coco queimadas lá nas bandas do Havaí. Todo esse trabalho para o sal ficar preto, oras bolas! 

Brincadeira, ou não, além de deixar o sal com aparência mais dramática, este carvão ainda proporciona um sabor mais profundo ao prato. Se duvida, experimente num ovo cozido e me diga se não fica diferente. Na minha opinião ele adiciona um toque denso que remete ao defumado.


Legal, agora vamos ao pulo do gato. Por quê este sal é indicado somente para finalizações e não para o cozimento?

Poderia ser pelo preço, mas em outros países esse sal custa o mesmo que o rosa ou o marinho. Então não é exatamente por isso, certo? Seria então por risco de perder as propriedades antioxidantes do produto? Tem a ver com isso também, mas não somente.

A resposta que fiquei meses procurando mistura as duas ideias. Quando o lava salt do Havaí é cozido ele derrete deixando o componente mais interessante (o carvão) no fundo da panela ou da frigideira.

Você gasta uma grana para colocar um elemento chique no seu cozido e o toque de mestre vai ficar abandonado no fundo da vazilha como se fosse um resíduo de uma preparação descuidada? Seria um mal uso do ingrediente que deveria funcionar como o foco de atenção do prato gourmet. Ninguém quer que isso aconteça, certo?!

Além disso, ouvi dizer que existe um lugar na Etiópia onde a cratera de um vulcão ficou repleta de sal. No verão a lagoa fica seca e o sal branco, no inverno a lagoa enche e o sal fica preto. A fantástica combinação de lava e sal num lugar de difícil acesso de onde os burros saem carregados cada qual com 2 sacos de 25 kg cheios do legítimo diamante negro.


El Sod, Etiópia por Christine Wehrmeier.





--
Isabela: designer, especialista em tecidos automotivos, estudou psicologia clínica, trabalha inclusive com análise de tendências de design e comportamento humano. Está morando fora do país, por isso gosta de compartilhar as coisas interessantes que encontra pelo caminho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leave your comments here.