novembro 19, 2014

 

Muitos estudos indicam a correlação entre doenças crônicas e dieta ou hábitos alimentares para ser politicamente correto. O consumo diário de frutas e vegetais, por exemplo é reconhecido por reduzir o risco de câncer e doenças cardiovasculares.

Em paralelo aos traços de vitaminas e minerais encontrados nos alimentos, a função fotoquímica parece ser ainda mais relevante para a expressão desses componentes no corpo humano. Sendo assim, compensa atentar para a função que esses elementos desempenham no organismo.

O tiol, por exemplo é um tipo de captador que está ligado ao processo antioxidante das células as protegendo dos danos oxidativos vitais. Tiol ou tioálcool estão nos grupos de sulfídricos, mercaptano etílico ou somente mercaptano que no latim significa captador de mercúrio, mercurim captans.

Essenciais para prevenir os malefícios do envelhecimento essas biotinas ou tióis derivados de produtos biológicos são divididas em vários tipos. Uma delas é a glutationa um tiol não protéico (GSH, L-glutamyl-L-cysteinyl-glycine) que é sintetizada pela γ-glutamil cisteína (GGC, γ-glutamyl cysteine) que vai formar a sintetase glutationa. A glutationa também participa de um processo redutivo essencial na síntese de DNA e proteínas. Além disso,  ela estoca e transporta cisteína.

A cisteína e glutationa entregam componentes importantes para que as células normais, por exemplo se protejam de radiações agentes químicos (remédios de quimioterapia). No mesmo grupo estão a homocisteína que está relacionada à arteriosclerose e a N-acetilcisteína que é usada no tratamento de bronquite crônica e intoxicacão de acetaminofen (paracetamol).

O problema fica por conta da insuficiência de estudos biológicos sobre o tiol presente em frutas e vegetais, mas o estudo Biologically Important Thiols in Various Vegetables and Fruits esclarece um pouco a situação. Aliás ele é uma referência desse texto.

A pesquisa desses alimentos pode ajudar também a entender o motivo de alguns pacientes de lúpus terem reações alérgicas aos alimentos com alto teor de enxofre (sulfur). Pesquisando em várias fontes não fica claro onde encontrar o elemento e a confusão se explica quando vemos que estão pensando em elemento e não nas reações bioquímicas como falei no segundo parágrafo desse texto.

Por isso fica difícil saber o que retirar e o que introduzir numa alimentação anti-inflamatória. Pelo pouco que pesquisei, alguns escrevem a lista de alimentos controladores de doenças crônicas sem saber as funções que eles desempenham dentro do corpo.

Um bom exemplo é o aspargo, assim como outros crucíferos, tem enxofre (20 ml/g), mas também tem glutationa (349 nM/g) e cisteína (122 nM/g). O abacate apesar de conter o mesmo tanto de enxofre e glutadiona que o aspargo, contém pouca cisteína (4 nM/g). Sendo assim o abacate tem baixa capacidade de carregar metais pesados pelo organismo por ter menos tiol.

Por algum motivo não explicado, mas observado por médicos estudiosos do assunto, alguns portadores de lúpus se sentem melhor quando tiram da dieta os alimentos que contém essa substância, o tiol. Não necessariamente os que contém enxofre.

Segue uma lista que considera tanto o elemento (tiol) quanto a função que desempenham (free-tiol).

  • ostras várias, incluindo abalone
  • abóbora, todos os tipos
  • leite de amêndoa
  • anchovas
  • alcachofra
  • abacate
  • bacon
  • bambu
  • cevada
  • carne vermelha, contém enxofre, mas é o caso explicado acima sobre o tiol
  • beterraba
  • mirtilo ou blueberry
  • fruta pão
  • açúcar mascavo
  • trigo búlgaro
  • manteiga
  • cantalupo
  • carpa
  • cenoura
  • melão, vários tipos, japonês, sapo, amarelo
  • aipo
  • frango, carne mais escura
  • fígado de frango, boi e porco
  • canela
  • coco seco ou fresco, não existem quantidades significantes de tiol na fruta, mas alguns produtos contém sulfitos para não amarelar
  • óleo de fígado de bacalhau
  • milho
  • óleo de algodão
  • pepino
  • tâmara
  • peixe seco
  • pato
  • enguia
  • berinjela
  • peixe fermentado
  • figos
  • linguado
  • gelatina
  • raiz de gengibre, fresca
  • ganso
  • grapefruit
  • suco de grapefruit espremido na hora
  • goiaba
  • ervas frescas, alecrim, tomilho, manjericão
  • mel
  • carne seca
  • cavalinha
  • kiwi
  • nagami
  • ovelha, carneiro
  • limão, suco de limão fresco
  • alface
  • lima
  • lagosta
  • nêsperas
  • mangas
  • manjerona
  • cogumelos
  • aveia
  • polvo
  • salsinha
  • nabo
  • pera
  • pimenta branca
  • pepperoni, atenção porque às vezes adicionam alho no preparo e alho contém tiol
  • caqui
  • faisão
  • romã
  • porco
  • batata
  • codorna
  • coelho
  • arroz
  • leite de arroz
  • salmão
  • sal
  • sardinhas
  • escalope
  • sementes, girassol, abóbora, linhaça
  • semolina
  • óleo de gergelim, mas as sementes de gergelim contém muito tiol 
  • tubarão
  • frutos do mar
  • camarão fresco
  • peixe defumado
  • arenque defumado
  • escargô
  • óleo de soja
  • abóbora espaguete
  • abobrinha todos os tipos
  • batata doce
  • truta
  • atum
  • carne de peru, clara e escura
  • vinagre branco
  • água de castanha portuguesa
  • melancia
  • açúcar branco
  • farinha de trigo integral
  • mandioca
Se quiser saber sobre os alimentos que contém tiol veja a página Sulfur FoodsLembre-se sempre de combinar essa lista com outras listas de alimentos restritos para fazer uma dieta customizada e melhorar logo!


ATENÇÃO
Todo o material escrito na seção ALERGIA tem somente a intenção de informar com referências. Você não deve de jeito algum deixar de conversar e comunicar seu médico sobre suas decisões de trocar ou parar de tomar qualquer remédio, suplemente ou começar a fazer qualquer tratamento. Por favor use o bom senso, faça sua própria pesquisa. Consulte seus especialistas quando resolver fazer alguma substituição que afete sua vida.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leave your comments here.